Passado o jogo contra o Coritiba-PR, o de número 33 do time na Série B do Brasileiro, o Paysandu tem agora apenas os dedos de uma das mãos para contar os jogos que lhe restam para tentar escapar do temido rebaixamento na competição.
Com apenas 33 pontos, o Papão terá de conquistar, no mínimo, mais 13 dos 15 pontos que disputará até o desfecho do certame, no dia 24 de novembro, quando ocorre a 38ª rodada, a última do campeonato. O Bola apresenta um “raio x” de como estão, no momento, os próximos adversários do único representante da região Norte na disputa.

Nenhum dos oponentes do Papão está, no momento, no chamado G4, grupo que congrega os quatro melhores times em pontuação na Série B. Mas, pelo menos dois deles – Atlético-GO e Vila Nova-GO – estão bem próximos da parte de cima da classificação. Os adversários goianos ocupam, pela ordem, a 5ª e 6ª colocações, portanto a poucos passos da parte privilegiada da tabela. As equipes têm, cada uma, 51 pontos, diferença de apenas dois pontos do último colocado do G4, curiosamente, outro clube do planalto central, o Goiás-GO, que soma 53 pontos.

Os demais adversários, no caso Oeste-SP, Guarani-SP e Figueirense-SC, não têm grandes aspirações no campeonato, mas, comparados com o Paysandu, que ocupa a 18ª colocação, estão em situação bem mais confortável. O Oeste é quem está mais próximo da zona de morte, mas ainda acima três degraus da última parte da tabela de classificação. O time do interior paulista é o 13º colocado, com 43 pontos. Já Bugre e Figueira estão na 9ª e 11ª colocações, somando 46 e 44 pontos, respectivamente.

CHANCES MÍNIMAS

De acordo com o prognóstico do site Chance de Gol, especializado em projeções matemáticas do futebol, o Paysandu reúne, hoje, 90,5% de chances de cair para a Série C de 2019. As possibilidades de título e de acesso à Série A, óbvio, são de 0%. Já o site da Universidade Federal de Minas Gerais, segundo o departamento de matemática da instituição, apresenta um quadro ainda mais difícil para o Papão. Os cálculos dão o Papão com 92,3% de possibilidades de queda. Os bicolores só são superiores ao Boa Esporte-MG, lanterna do campeonato, com 29 pontos. O time mineiro já é dado como rebaixado.

Para piorar a situação e desanimar o torcedor bicolor, o estudo da UFMG, retrata o time bicolor como aquele de pior campanha entre os 20 disputantes no returno do campeonato. Em 14 partidas só obteve uma vitória, seis empates e sete derrotas, contabilizando nove pontos e um aproveitamento pífio de 21,43%.

RAIO X 

– Vila Nova

Embora venha de uma derrota frente ao Londrina-PR, o time goiano ainda pode se dar ao luxo de aspirar a Série A do Brasileiro. O Tigre, como é apelidado, soma 51 pontos, na 6ª colocação, precisando de uma vitória na sexta-feira, contra o Paysandu, em Goiânia, para manter acesa a possibilidade de ascender à elite do futebol nacional.

– Oeste

Se não tem grandes possibilidades de acesso, reunindo apenas 0,01%, segundo o site Chance de Gol, o Oeste pelo menos pode comemorar o fato de praticamente ter permanência na Série B garantida. As chances de queda, de acordo com a mesma página na internet, são de apenas 0,03%.

– Guarani

O time de Campinas, a exemplo do Oeste, tem remotas chances de figurar na Primeirona de 2019. Há apenas 1,4% de chances para que isso ocorra. Mas, como ainda existe essa pequena possibilidade, o Bugre acaba se constituindo em um adversário perigoso. Já que enquanto houver vida, existirá esperança.

– Figueirense

O Figueira, 11º colocado, com 44 pontos, tem poucas chances de chegar à Série A de 2019. Segundo o Chance de Gol, apenas 0,2% de possibilidade. Mas, o time catarinense vive um momento motivador, depois de ter quebrado o tabu de não vencer em casa há sete partidas. Outro fator motivador para o time é estar a um passo de eliminar completamente a possibilidade de queda à Série C.

– Atlético-GO

De todos os adversários bicolores, o time atleticano é aquele que, no momento, ocupa a melhor posição na tabela de classificação, sendo o 5º colocado, com 51 pontos, dois a menos que seu conterrâneo, o Goiás, que é o fona do G4. Até o jogo contra o Papão, o último das equipes no campeonato, pode ser que a “dança das cadeiras” tenha deixado o adversário longe do G4 ou quem sabe na parte de cima da classificação.

(Nildo Lima/Diário do Pará)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here