O presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia (DEM/RJ), criou oficialmente a Comissão Parlamentar de Inquérito que vai apurar o vazamento de rejeitos tóxicos da Hydro Alunorte em Barcarena, no Pará, durante as fortes chuvas que atingiram a região nos dias 16 e 17 de fevereiro deste ano. A criação ocorreu na última terça-feira (3), quando Maia oficiou os partidos a indicarem os membros da CPI.

O pedido de CPI foi assinado pelos deputados paraenses Edmilson Rodrigues (PSOL), Arnaldo Jordy (PPS), Eder Mauro (PSD) e Elcione Barbalho (PMDB) como encaminhamento da Comissão Externa da Câmara – criada a pedido de Edmilson e coordenada por ele – com a finalidade de apurar o crime ambiental. “A Comissão Externa da Câmara está acompanhando desde fevereiro o crime ambiental que afeta a saúde da população de Barcarena. Descobrimos que não é de hoje (o crime) porque havia uma obra de engenharia, três dutos despejando na mata e no rio os rejeitos da alumina”, recorda Edmilson.

COBRANÇA

Foi na visita da Comissão à Hydro, em 23 de fevereiro, a primeira visita de autoridades ao local, que o vice-presidente nacional da Hydro, Sílvio Porto, admitiu pela primeira vez que havia um duto clandestino para escoar efluentes da fábrica para a parte externa. “Vamos apurar empresas e governos. Não admitiremos impunidade! A CPI será importante para cobrar que as empresas cumpram a lei e também que os órgãos públicos, especialmente os responsáveis pelo licenciamento mineral e ambiental cumpram também com rigor a legislação”, declarou Edmilson, no plenário da Câmara. “Não aceitamos esse tratamento, exigimos nosso direito pleno à cidadania, que cumpra as leis nacionais e respeite as instituições ambientais do nosso estado.”

(Diário do Pará)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here