022828084315224 300x169 - Curtíssimas do Jorge Quadros, Segunda-feira (01)
E o Brasil se divide hoje em duas vertentes: #Ele Sim e #Ele Não… Coisas que o brasileiro inventa para justificar seus votos, muitas vezes sem saber realmente o que os candidatos editaram em suas plataformas de governo, se forem eleitos.

CHEGADA

Está chegando a hora de milhões de brasileiros votarem em seus representantes para mais quatro anos de mandato. Presidente, senadores, deputados federais e estaduais. A disputa está grande, apesar de não termos a ‘zuada’ que tínhamos nas eleições anteriores. No entanto, os eleitores estão fazendo acontecer a festa da democracia.

ELEIÇÃO

Aqui no Pará, a maioria dos paraenses vai votar mesmo no candidato, independente de Partido Político. Mesmo aqueles candidatos que estão denunciados e que tiveram seus nomes amplamente divulgados pela mídia tem boas chances de ganhar as eleições.

MIDIA

Nas redes sociais, os eleitores continuam se digladiando e, se ‘as coisas’ não fossem virtuais, muitas brigas com vias de fato já teriam acontecido. O ódio disseminado por alguns acaba contagiando outros. A falta de respeito entre os eleitores chega ao absurdo de envolver famílias inteiras. Um não pode dizer que vota em outro que a provocação começa a descambar para caminhos que levam à inimizade eterna. Lamentável.

SIM

Imaginem a grande quantidade de candidatos à presidente que o Brasil tem hoje. Porém, a polarização entre os dois que despontam nas pesquisas de intenções de votos são os que mais intrigam a outra arte dos eleitores que não vota em nenhum dos dois.

NÃO

O fato do eleitor dizer que não vota no candidato do PT, parece hipoteticamente que ele vota no candidato do PSL. Se disse que não vota no candidato do PSL, leva a crer que vota no candidato do PT. Volto a repetir que a falta de respeito e decência com o voto alheio ultrapassou todas as barreiras da liberdade de votar em quem o indivíduo quer.

APOIO

O prefeito Paulo Tocantins não faz mistério quando está apoiando um candidato. Sempre foi assim desde o início da sua vida pública, segundo os próprios amigos. Desde o início desta campanha eleitoral que ele se decidiu pelos candidatos ao governo, senado, deputado federal e estadual. E está empenhado diariamente em arregimentar o maior número de votos para ajudar a eleger seus ‘chegados’.

SIDNEY

Quando decidiu ser candidato ao Senado da República, Sidney sabia que não seria fácil. A prova está aí nas pesquisas que o povo não quer muito saber se o ‘cara’ é ficha limpa ou não. É de se acreditar que ainda temos longos anos a percorrer até que a maioria mude o pensamento de se libertar das oligarquias. Sidney, perseverante, assim como todos nós, acredita na vitória.

PERDEU?

Os anos de estrada trabalhando efetivamente com política, me leva a crer que perder uma eleição é muito melhor que perder a dignidade.

#VOLTA

Já há nos bastidores uma forte corrente para, qualquer que seja o resultado das eleições ‘exigir’ a volta de Sidney à prefeitura de Paragominas. Nunca falamos com o candidato ao Senado sobre isso. Mas cá entre nós, a corrente está mais forte do que muita gente imagina.

ETERNO

O que muita gente tem que admitir é que os mandatos não são eternos e que as novas gerações também almejam participar dos eventos políticos e ocupar cargos que antes pertenciam às famílias. No Pará, este tipo de projeto ainda está longe de ser realizado. Basta parar um pouco em frente à tevê e assistir ao Programa Eleitoral. Senador, governador, deputados federais e estaduais da mesma família preenchem quase todo o horário gratuito todos os dias.

MAS…

Isso é a democracia, cabe ao povo resolver suas diferenças e apostar em quem realmente pode fazer alguma coisa. Mas quem? Quem souber que atire o primeiro voto.

MOVIMENTAÇÃO

Estive no Restaurante Goiano na quinta-feira (27) conversando com amigos e senti que a maioria está preocupada com os rumos do Pará e, principalmente com Paragominas com a grande quantidade de candidatos à deputado estadual. “Corremos o risco de ficar sem nenhum representante na Assembleia Legislativa do Estado”, disse um deles.

PORÉM…

A manifestação de apoio ao candidato do governo municipal Bosco Gabriel, é muito grande e, se o trabalho foi bem feito, se conseguir muitos votos em outros municípios para somar aos que tem aqui na terra de ‘Célio Miranda’, poderá ser o representante de Paragominas na ALEPA. Sem desmerecer os demais que também estão correndo atrás do mesmo propósito.

AUSENTE

Nesta eleição é visível a preocupação dos amigos que não estão vendo a presença do ex-prefeito e ex-secretário de estado de Desenvolvimento Econômico Adnan Demachki. Adnan, que é uma ‘estaca de sustentação politica em Paragominas e agora no Estado”, se recupera de uma enfermidade. Estamos torcendo para que ele volte à ativa o mais rapidamente possível. Primeiro a saúde é lógico.

PRESO

À partir de amanhã, 02 de outubro, nenhum eleitor pode ser detido ou preso a partir desta data, salvo em flagrante delito, em caso de sentença criminal condenatória por crime inafiançável ou por desrespeito a salvo-conduto.

..

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here