Com a morte de um rapaz envolvido com a criminalidade dias atrás no Residencial Morada do Sol, os moradores estão se sentindo desprotegidos apesar da Polícia Militar está fazendo rondas ostensivas com muito mais frequência.

“Ai virmos para cá imaginávamos que jamais chegaríamos à esse ponto”, disse à nossa reportagem D. Maria de Jesus de 74 anos de idade, que mora com a filha que é divorciada e mãe de quatro filhos.

Muitas vezes os moradores são reféns dentro de suas próprias casas por causa das ameaças que sofrem para que não ‘abram o bico’ caso vejam alguma coisa errada. Tem famílias que chega em casa cedo e só sai no outro dia porque os meliantes ficam observando tudo o que acontece nas imediações.

Além do mais, deixar a casa sozinha à noite é mesmo que convidar os bandidos para irem lá e furtarem os poucos objetos que estas famílias conquistaram com muito sacrifício.

As mensagens e palavras de ordem estão grafadas em vermelho nas paredes dos prédios e em algumas casas. ‘É um absurdo vivermos assim” disse S. Manuel Assunção, também idoso e que não tem coragem de ‘por o nariz’ pra fora de casa após às 19 horas.

‘Meu filho, quase todo final de semana tem briga nestas ruas. Os caras saem gritando, ameaçando os outros e tudo fica por isso mesmo. Seria muito bom se aqui tivesse um PM Box. No Nagibão não tem? Porque não fazem um aqui também?”, questiona o S. Manuel Assunção.

Por outro lado é muito comum as comunidades dos dois residenciais, Morada do Vento e do Sol verem as viaturas da Polícia Militar circulando pela área. O trabalho existe e se não fosse isso estaria muito pior. Os índices de prisões efetuadas pelos policiais militares demonstram que a PM está presente. Porém, os bandidos não tem mais receio de realizarem seus planos diabólicos e de enfrentar a polícia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here