Chikungunya tem aumento e causa seis mortes, cinco delas em Xinguara

Ary Souza/O Liberalemana - Número de casos da dengue cai no Pará

Em relação ao ano passado, o número de casos de dengue diminuiu no Pará em 2017. Mas o de chikungunya aumentou, causando a morte de seis pessoas. A informação foi divulgada, ontem pela manhã, por Heloísa Portal, técnica da Coordenação Estadual de Controle da Dengue, Zica e Chikungunya da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Pela manhã, ela participou da abertura da Semana Nacional de Mobilização no Combate ao Aedes Aegypti do segundo semestre de 2017, que vai até o dia 27 e envolve os setores de educação, assistência social e saúde. O evento ocorreu no prédio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), em Belém.

A Semana Nacional é uma iniciativa dos Ministérios da Educação, Assistência Social e Saúde nos estados e municípios e faz parte das ações que serão desenvolvidas pelo Programa Saúde na Escola. “Houve uma diminuição no número de casos de dengue. Não tivemos nenhum óbito dessa doença de 2016 pra cá. Mas houve um aumento nos casos de chikungunya. Tivemos um surto em alguns municípios, principalmente em Xinguara, onde houve cinco óbitos. Um sexto paciente morreu em Redenção, mas residia em Xinguara. Também houve uma diminuição nos casos de zika vírus”, afirmou Heloísa. O trabalho de controle vetorial de prevenção é o mesmo para todas as doenças, com eliminação de criadouros.

Ainda segundo Heloísa, é preciso redobrar a atenção com os pacientes, com atendimento e tratamento imediatos, pelo fato de estamos em uma área endêmica. Ela destacou o trabalho de prevenção e mobilização realizado pela Sespa, junto com outros órgãos, numa mobilização que acontece desde 2015 e tem contribuído para diminuir o número de casos. Nos casos confirmados da dengue, a redução foi de quase 28% este ano. “Aumentaram os casos notificados e confirmados de chikungunya, mas os números da zika se mantiveram quase os mesmos de 2016”, afirmou. “O foco principal hoje é a prevenção. Trabalhar com as crianças. Essa divulgação está sendo feita em todas as escolas do Estado”.

Diretora de Ensino Fundamental da Seduc, Marizete Martins disse que, ao longo da semana, as escolas estarão desenvolvendo atividades voltadas para o combate ao mosquito. “É uma campanha que a secretaria vem fazendo desde o ano passado, com a criação da sala estadual, pela Sespa. A Seduc tem sido parceira nessa campanha ao longo de todo o ano. Agora é o momento crucial do combate à doença. São ciclos de palestras. E as escolas desenvolvem seus projetos próprios, como as crianças da Escola Estadual Valdomiro Oliveira, do Benguí”, explicou. Segundo ela, as crianças são multiplicadores no combate ao aedes.

Ontem, uma webconferência realizada no auditório da Seduc foi transmitida para todas USEs e UREs. A programação contará com palestras, rodas de conversa, relatos de experiência das escolas, apresentações culturais e distribuição de material educativo.

(O Liberal)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here