Corrida espacial agora é entre EUA e China

O explorador chinês, que inclui um mecanismo de pouso e um rover, foi lançado no dia 8 de dezembro de 2018 por um foguete Long March-3B do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang, no Sul da China, na província de Sichuan.

A sonda desacelerou e entrou na órbita lunar no dia 12 de dezembro, completando um passo vital de seu trajeto para o primeiro pouso da história no chamado lado oculto da lua.

A missão lunar chinesa Chang’e-4 inclui 3 estágios: orbitar a Lua, realizar o pouso e retornar à Terra. O primeiro e segundo estágio já foram realizados com sucesso.

Por estar no lado oculto da Lua, a sonda não poderá se comunicar diretamente com a Terra. Para solucionar esse problema, o satélite chinês Queqiao será responsável pela transmissão dos sinais entre a Terra e o Chang’e-4.

A primeira imagem a ser registrada da região lunar foi capturada em 7 de outubro de 1959 pela estação soviética Luna-3, mas até hoje nenhuma espaçonave da Terra havia chegado até lá.

O lado escuro do satélite natural não é visível pois a Lua está em rotação sincronizada com a Terra.

Com informações do sputiniknews.com

Fonte Reprodução: Portal Roma News /  DA REDAÇÃO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here