Suposta irregularidade no clube goiano pode beneficiar Papão e Ponte Preta

A diretoria do Paysandu ainda não se pronunciou oficialmente, mas a expectativa é grande pelos desdobramentos do ‘caso Ernandes’. O lateral-esquerdo do Goiás teria atuado de forma irregular na Série B 2018, o que pode levar o time do Centro-Oeste, como punição, a figurar entre os rebaixados à Série C da próxima temporada. A eventual queda levaria o Bicolor Paraense à 16ª colocação na classificação final da Segundona, ou seja, a equipe ficaria livre do rebaixamento.

Entre os torcedores do Papão, o ceticismo com o caso ainda impera. “Eu acho difícil essa punição ocorrer. Até porque o Goiás tem uma boa relação com a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e com certeza vai fazer o possível para provar que não tinha nada irregular com o jogador”, aponta o advogado Alberto Freitas. O jurista não acredita em um possível “tapetão”, que também beneficiaria a Ponte Preta – quinta colocada no campeonato e que ficaria com a última vaga no G-4, em caso de punição aos goianos.

O Goiás afirma que tomou conhecimento ontem (3), por meio da imprensa, da suposta fraude em um documento pessoal (certidão de nascimento) de Ernandes, que disputou 31 partidas pelo clube na Série B 2018. A diretoria do clube esmeraldino, por sua vez, se eximiu de qualquer culpa por possíveis irregularidades e garante que a inscrição do atleta junto à CBF está em conformidade com os dados apresentados por ele.

De acordo com a Rádio Central de Campinas (SP), Ernandes teria adulterado a idade e seria “gato”, como se diz na gíria do futebol. Ao invés de 11 de novembro de 1987, como consta no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF e no site oficial do Goiás, uma certidão do segundo cartório de São Félix do Araguaia (MT), onde o jogador nasceu, indica que sua data de nascimento é 11 de novembro de 1985. Ernandes seria, portanto, dois anos mais velho do que declarou.

Segundo Túlio Lustosa, gestor de futebol do Goiás, a diretoria acionou seu departamento jurídico e não teme sofrer qualquer tipo de punição. O clube divulgou por meio de nota que, “mesmo que seja comprovada alguma fraude, a mesma não é de responsabilidade da agremiação”.

O Goiás divulgou uma nota oficial sobre o caso:

No Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ernandes Dias Luz nasceu no dia 11 de novembro de 1987, ou seja, como consta no documento apresentado pelo jogador no ato de contrato com o Goiás Esporte Clube. Se o atleta possui outra documentação, o fato não é de responsabilidade do clube que o contratou e sim de quem efetuou o registro do jogador como profissional de futebol. Em toda documentação de Ernandes apresentada ao Goiás, desde Carteira de Trabalho, de Reservista, Carteira de Motorista e de Identidade apresentam a data de nascimento com o ano de 1987. Fato este que não acarretará nenhum tipo de ação ou punição contra o Goiás Esporte Clube. O atleta está de férias e até o presente momento não foi localizado para prestar esclarecimentos sobre o fato apresentado.

POR RONALDO GILLET – Portal RomaNews

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here