Quase uma tonelada de pescado já foi apreendida somente este mês no município de Marabá e região. As apreensões são resultados de fiscalizações realizadas durante o período da Piracema. A região encontra-se no período de defeso, que vai de novembro deste ano até o final de fevereiro de 2019. Durante o período, a pesca comercial é proibida, já que os peixes se reúnem para a reprodução. Em Marabá, as fiscalizações são realizadas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), em parceria com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Guarda Municipal.

Segundo o secretário de Meio Ambiente de Marabá, Rubens Sampaio, os pescados foram apreendidos pelas equipes de plantão em vários pontos do rio, principalmente próximo da praia do Tucunaré e outra parte foi pega próxima a Colônia de Pecadores Z-30, na Marabá Pioneira.

Além do pescado, também foram apreendidos mais de mil metros de redes, que foram incinerados. Rubens Sampaio explica que o trabalho de fiscalização é para respeitar esse período de desova e de acasalamento, uma vez que o número de pescados vem diminuindo.

MULTA

O secretário municipal de Meio Ambiente explica ainda que os pescadores podem pescar para subsistência, mas tem que ter cuidado para não ser em grandes quantidades, porque podem ser enquadrados no crime ambiental. “Por isso, a gente pede para eles que respeitem o recesso”.

Além do material apreendido, quem for flagrado pescando sofre auto de infração e vai responder civilmente pelo crime ambiental. A multa varia de R$ 1.500 a 50 milhões.

– Os pescados apreendidos estão sendo doados no Lar São Vicente de Paulo, que abriga idosos do município, na Folha 6, na Nova Marabá.

(Diário do Pará)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here