Montante será para compensar perda de arrecadação com mineração

Por Agência Brasil  Brasília

De acordo com o executivo, será feita uma doação e os valores não serão abatidos de uma eventual indenização. O valor das parcelas ainda não foi definido. A cidade de Brumadinho tem sua economia dependente dos royalties da mineração, chamado de Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (Cfem).

A mineradora iniciou hoje (31) o cadastro de pessoas que têm parentes mortos ou desaparecidos após o rompimento da barragem. A empresa informou que pagará às famílias R$ 100 mil por pessoa desaparecida ou morta. O atendimento será feito em dois postos, das 14h às 18h, nesta quinta-feira e das 8h às 18h nos demais dias, prioritariamente na Estação do Conhecimento e também no Centro Comunitário do Feijão.

Qualidade da água

Siani informou que barreiras de contenção e membranas foram instaladas para monitorar a qualidade da água do Rio Paraopeba, atingido pelos rejeitos. A maior preocupação no momento, segundo o executivo, é a cidade de Para de Minas, que é abastecida pelo rio.

2019 01 31t151230z 1627549542 rc1a8dfd2c00 rtrmadp 3 vale sa disaster - Vale vai doar R$ 80 milhões para Brumadinho ao longo de dois anos
Helicóptero de resgate sobrevoa Rio Paraopeba atingido pelo rompimento de barragem da Vale, em Brumadinho. – Adriano Machado/Reuters/Direitos reservados

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here