Dinheiro será repassado a quatro escolas públicas de Belém e à Faculdade de Direito da UFPA

Foto: Enize Vidigal/WhatsappO Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado pelo Itaú Unibanco S.A junto ao Ministério Público do Trabalho da 8ª Região, na manhã desta quinta-feira (31), possibilitará o repasse de R$ 1 milhão para fins sociais. O dinheiro será empregado na aquisição de obras e equipamentos para quatro escolas públicas de Belém, a Faculdade de Direito da Universidade Federal do Pará (UFPA) e a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Pará (SRTE/PA). A assinatura ocorreu na sede do MPT, na presença dos representantes das instituições contempladas. A juíza da 8ª Vara do Trabalho de Belém, Maria Edilene de Oliveira Franco, homologou à tarde o acordo que encerra uma ação judicial.
O acordo foi assinado pelo representante do banco, Denilson Nomura, sob a mediação do procurador do trabalho Roberto Ruy Rutowitcz Netto. Ruy destacou que o dinheiro vai ajudar a melhorar o ambiente escolar para alunos da rede pública de ensino. São contempladas as escolas estaduais Paulino de Brito, Ulysses Guimarães e Doutor Freitas e o Centro de Educação de Jovens e Adultos Professor Luiz Octávio Pereira. Durante o ato, os representantes das escolas relataram problemas de infraestrutura, como ausência de bebedouro e a necessidade de reparos nas instalações.
“O dinheiro será depositado em juízo. As instituições deverão apresentar projetos e a cotação de preços das obras e serviços que deverão ser comunicados à justiça para que o dinheiro seja liberado”, explicou. O delegado geral da Polícia Federal, Uálame Machado, compareceu ao ato para anunciar a parceria do órgão, que cederá um profissional de engenharia e outro de arquitetura para a elaboração dos projetos de reforma das escolas.
A diretora da Faculdade de Direito da UFPA, Profª Drª Valena Jacob, destacou que ajuda veio em boa hora, quando a UFPA sofreu o maior corte orçamentário entre as demais universidades federais do país, no primeiro semestre do ano, de 34%. A instituição vai receber R$ 200 mil do TAC. “O recurso vai ajudar a melhorar as condições de ensino e infraestrutura para os alunos, professores e demais funcionários. Vamos melhorar as salas de aula. Há mais de dez anos a gente não conseguia pintar uma sala de aula, as carteiras precisam se trocadas, os quadros estão manchados. Temos problemas com aparelhos de ar condicionados, apesar da manutenção, que são usados continuamente em três turnos de aulas. Vamos melhorar as salas de aula e a sala dos professores e instalar uma rede de informática”, destacou.
Além do pagamento, o banco também se comprometeu no acordo a instalar e manter portas de segurança giratória com detector de metais e também janelas para o depósito de objetos de metal em todos os acessos destinados ao público em todas as agências existentes no Pará.
(ORM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui