Uma pesquisa feita pelo Ministério de Transportes, Portos e Aviação Civil (MTPA), divulgada ontem, apontou o Aeroporto Internacional de Belém como o segundo pior do país, atrás apenas do Aeroporto Internacional Hercílio Luz, em Florianópolis (SC). Os dois terminais foram os únicos que receberam nota abaixo de 4, em uma escala que vai de 1 a 5.

A Pesquisa de Satisfação do Passageiro foi feita nos 20 maiores aeroportos do Brasil, onde os consumidores deram notas para a qualidade da estrutura e dos serviços oferecidos, como as condições do banheiro e o preço de refeições ou do estacionamento. Foram ouvidas 20.527 pessoas, entre abril e junho deste ano. Esses terminais respondem por 87% da movimentação de passageiros do Brasil.

Para a confeccionista Maria Ferreira, os preços altos cobrados pelos serviços oferecidos no terminal são o principal motivo pela má avaliação. “Eu costumo viajar bastante, já estive em vários aeroportos do país, e realmente o de Belém é um dos que têm o preço mais alto de estacionamento e principalmente de alimentação. Além disso, a cidade é conhecida por ser uma das mais calorentas do Brasil, e os ar-condicionados disponibilizados pelo aeroporto não são suficientes para suprir essa necessidade. Também acho que deveria haver mais banheiros espalhados pelo terminal”, analisa.

A Infraero, que administra o Aeroporto de Belém, afirmou, em nota divulgada à imprensa, que as avaliações são importantes para aprimorar os processos do terminal e que vai analisar os resultados da pesquisa. “Vale destacar que o Aeroporto Internacional de Belém é moderno e opera de acordo com normas nacionais e internacionais da aviação civil. Além disso, a Infraero está intensificando o trabalho de modernização de alguns ativos estratégicos, como as pontes de embarque, os elevadores e escadas rolantes, restabelecendo a plena eficiência de climatização e buscando um reforço na iluminação do terminal e uma revitalização dos banheiros”, informa o texto da nota.

Dos 10 aeroportos mais bem avaliados pelos passageiros, quatro são concedidos à iniciativa privada. A melhora na qualidade do serviço sempre foi um dos principais argumentos do governo para transferir o controle dos terminais para o setor privado. O aeroporto de Florianópolis foi concedido para a iniciativa privada em 2017, mas a transferência total do controle da Infraero para a nova concessionária só foi concluída em abril deste ano. Na pesquisa do primeiro trimestre, o terminal também foi o mais mal avaliado.

De acordo com a pesquisa, o aeroporto mais bem avaliado do país continua sendo o de Curitiba (PR), com nota 4,69. Em seguida, aparecem os aeroportos de Viracopos, em Campinas (SP), com nota de 4,67, e de Cofins, em Belo Horizonte.

Por: O Liberal

ORM.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui