A votação na Câmara aconteceu nesta quarta-feira, 16. A vereadora Francisca Ciza foi denunciada pelo Ministério Público por suspeita de dar informação falsa em documento público.

vereadora 300x205 - Câmara Municipal de Parauapebas inocenta vereadora denunciada pelo Ministério Público por improbidade administrativaA Câmara Municipal de Parauapebas inocentou a vereadora Francisca Ciza (DEM) de ter cometido ato de improbidade administrativa no mês de março de 2017. Ela é investigada pelo Ministério Público (MPPA) por suspeita de dar informação falsa em documento público.

A vereadora Francisca Ciza foi denunciada pelo Ministério Público por ter recebido dois salários municipais sem cumprir a carga horária dos empregos. De acordo com om Ministério Público, a vereadora assinou a folha de ponto da escola municipal mostrando que ela trabalhou todos os dias úteis de março de 13 às 17h. Informação que Francisca Ciza confirmou em depoimento ao MPPA.

Mas não foi assim que os vereadores de Parauapebas entenderam o caso, tanto que em votação para o arquivamento do processo contra a vereadora, 13 dos 14 vereadores votaram a favor do arquivamento, enquanto um votou no não arquivamento.

Para o vereador Horácio Martins (PSD), o Ministério Público não mostrou provas contundentes contra a vereadora.

“Não teve algo consistem que prova que ela cometeu o grave na questão da ética”, disse Horácio Martins.

Já a vereadora Joelma Leite (PSD) foi a única ter rejeitado o arquivamento do processo contra Francisca Ciza.

“Eu não tenho nada contra a pessoa e nem contra a comissão, a respeito do trabalho que foi feito, mas eu me dou o direito de discordar”, ressaltou Joelma.

Segundo o administrador Luís Felipe, os vereadores foram corporativistas ao não punirem exemplarmente a vereadora denunciada.

“Vergonhoso. a gente vê o corporativismo na Câmara e eles dizendo que ela é idônea e não tem nenhuma prova contra ela”, disse o administrador.

Só que o relatório do Portal de Transparência da Câmara de Vereadores de Parauapebas mostra que no período do dia 22 ao dia 24 de março, Francisca viajou para Brasília para participar de reuniões no Ibama e recebeu R$ 2.500 em diárias.

Para o Ministério Público, a vereadora teria cometido crime e ato de improbidade administrativa, já que recebeu salário como professora sem estar em sala de aula. Ainda de acordo com a promotoria de justiça, a decisão de arquivar a denúncia na Câmara Municipal não interfere nos trabalhos dos promotores, que continuam a investigação contra Francisca Ciza.

A vereadora Francisca Ciza (DEM) não se manifestou sobre o caso.

(G1 Pará)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here