1757994296 300x199 - Cesta básica dos paraenses está mais barata, diz Dieese-PAEm balanço divulgado nesta terça-feira (5), o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese-PA) informou que a cesta básica comercializada na Grande Belém voltou a apresentar queda. Em relação ao mês de julho, a redução foi de 3,31% em agosto. O valor médio foi de R$375,82 nos supermercados da capital.
O destaque ficou com o feijão, que teve redução de 18,18%, seguido do arroz, com queda de 11,72%. Já o preço do açúcar diminuiu 5,35%; óleo de soja está 4,59% mais barato e a banana apresentou queda de 4,11%. De acordo com o Dieese-PA, o preço médio dos alimentos básicos para um família com dois adultos e duas crianças não sai por menos de R$ 1.127,46. Apesar da redução, com esse preço são necessários 1,2 salários mínimos para garantir as necessidades familiares.
Por outro lado, dois produtos apresentaram aumento de preço, com destaque para o tomate, com reajuste acumulado de 10,22%, seguido da manteiga, com aumento de 9,08%.
Para comprar os 12 itens básicos da cesta, o trabalhador paraense comprometeu 43,6% do salário mínimo fixado em R$ 937,00. O trabalho foi de 88 horas e 14 minutos das 220 horas previstas em lei. A pesquisa ressaltou ainda que, com base no maior custo apurado para a cesta básica nacional, o salário mínimo precisa aumentar certa de quatro vezes para atender as necessidades previstas na Constituição Federal, chegando a R$3.744,83.
Das 24 capitais pesquisada pelo Departamento, Porto Alegre apresentou o maior valor, com o custo de R$ 445,76, seguida de São Paulo, com custo de R$ 431,66 e Florianópolis, com preço de R$ 426,30. No balanço nacional, Belém ficou entre as 13 capitais mais caras do país em alimentação básica. Os menores valores médios foram observados em Salvador com R$ 332,10; Natal com R$ 336,12 e Recife com R$ 340,54.
(ORM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui