Economia teve início no dia 30 de agosto e afeta, de forma mais direta, a população de Nova Marabá e Cidade Nova

Foto: Ascom Cosanpa92339 317857 - Cosanpa divulga plano de ação para encerrar racionamento em Marabá

Em entrevista coletiva realizada na manhã desta sexta-feira (15), o presidente da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), Cláudio Conde, detalhou o plano de ação elaborado pela equipe de engenharia do órgão para solucionar o problema de racionamento de água em Marabá, causado pela forte estiagem que afeta a região sudeste do estado. O evento foi realizado auditório da Associação Comercial de Marabá.

De acordo com o presidente, o monitoramento hidrológico feito diariamente pela Agência Nacional de Águas aponta que o nível do rio Tocantins vem baixando a uma média de dois centímetros a cada dia, o que inviabiliza o pleno funcionamento do sistema de captação existente na Estação de Tratamento de Água de Marabá. “Essa já é considerada uma das piores estiagens pelas quais o rio Tocantins já passou, e preocupa ainda mais pelo fato de que há seis grandes hidrelétricas no seu percurso. A solução a ser adotada deverá servir não apenas para sanar a questão em caráter emergencial, mas também para prevenir situações semelhantes no futuro”, completou.

Conde destacou que será montada uma estrutura para captação de água bruta à margem do rio Tocantins, com o apoio de duas bombas anfíbias instaladas sobre uma balsa, para garantir o abastecimento da Estação de Tratamento de Água da Nova Marabá. Os equipamentos já estão sendo transportados para o município e serão montados e postos em funcionamento em um prazo máximo de 15 dias.

“Para montar essa estrutura de captação, vamos construir uma plataforma de concreto em uma das margens e, sobre uma balsa posicionada no meio do Tocantins, vamos instalar as duas bombas acopladas a uma tubulação que alcance o ponto mais profundo do rio, de maneira a lançar essa água direto para área de tratamento da estação”, explicou o diretor de Expansão e Tecnologia da Cosanpa, Fernando Martins, destacando que esse planejamento depende diretamente das condições hidrológicas.

O racionamento teve início no dia 30 de agosto e afeta, de forma mais direta, a população dos núcleos Nova Marabá e Cidade Nova.

(ORM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here