Usuários usam drogas abertamente, a qualquer hora do dia e da noite

Foto: Divulgação/Arquivo17hsyDPS - Cracolândias se espalham por ruas e bairros de Belém

As cracolândias, como são conhecidos os pontos de uso e venda de drogas muitos comuns na região Sudeste do País, estão se espalhando por Belém. Nas ruas e praças da Cidade Velha, Umarizal e Reduto, grupos de dependentes químicos se multiplicam rapidamente e amedrontam, moradores, comerciantes e trabalhadores que circulam nessas áreas. Pesquisas do Programa Belém Pela Vida, da Prefeitura de Belém, revelam que o número de usuários de drogas em Belém é crescente e hoje existem cerca de 600 moradores de rua, dos quais 90% consomem drogas.
Os dependentes químicos consomem crack e outras drogas nas ruas, sem nenhum constrangimento, de manhã, à tarde ou à noite nos locais onde as cracolândias estão instaladas. Na Cidade Velha, por exemplo, algumas vias como a rua General Gurjão e Riachuelo estão completamente dominadas por vários grupos de usuários que se reúnem em bandos para negociar a compra de drogas e utilizá-las no meio da rua, sem se incomodar com os transeuntes ou com a possibilidade de serem detidos pela Polícia.
Para os moradores, as cracolândias se tornaram um pesadelo 24 horas. Mesmo quem mora há pouco tempo nesses locais não aguenta mais a situação. “A minha casa fica o tempo inteiro trancada, no cadeado. Qualquer hora do dia eles estão usando drogas na frente de todo mundo. Eu fico morrendo de medo, mal saio de casa agora. Faz pouco tempo que a gente mora aqui, cerca de três meses apenas, mas a gente já está procurando uma casa para mudar, pois não existe mais condições de viver no meio disso”, lamenta uma moradora. “Fica um ambiente muito ruim para morar, para conviver.

(O Liberal)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui