A delegada Amanda Costa, da Delegacia Especial de Atenção à Mulher (DEAM), falou ontem à imprensa sobre as circunstâncias que levaram à prisão de José Antonio Oliveira da Silva, conhecido como “Chaguinha”. É ele o principal suspeito de matar a jovem Vitória Dágila, de 17 anos, no dia 27 de julho. A moça estava grávida de 2 meses. Pesam contra Chaguinha, as acusações de feminicídio, estupro de vulnerável e aborto. Ele foi preso no último dia 27, um mês exato após o crime, em um ônibus que vinha de Goiânia. Veja o momento da abordagem feita pela polícia.

Operação Loki
O suspeito nega as acusações e diz não ter conhecido a jovem, contudo, a delegada afirma que há fortes indícios de que o relacionamento existia desde os 12 anos de idade da vítima, por isso a acusação de estupro de vulnerável. A operação “Loki” — deus da mentira — foi assim denominada pela frieza do suspeito e a tentativa de desviar de si, de todas as maneiras, a responsabilidade pelo crime. Para criar um álibi, o suspeito fez um vídeo na cidade de Curitiba afirmando que não era possível estar em Paragominas no dia do crime. Entretanto, a polícia tem imagens de câmeras de segurança do terminal rodoviário que revelam que Chaguinha esteve na cidade e foi embora logo após o cometimento do crime, inclusive está de posse da polícia a passagem de ônibus comprada pelo suspeito. Confira o vídeo.

Um crime premeditado
A delegada conta ainda que o crime foi cometido pelo fato de a vítima estar grávida, possivelmente de Chaguinha, que é casado. De acordo com depoimentos de quem conhecia a jovem, ela queria ter o bebê e dizia que queria apenas a pensão alimentícia e que não pretendia atrapalhar a vida matrimonial do suspeito. O DNA do feto não foi possível devido ao avançado estado de putrefação do ventre da vítima que foi encontrada de barriga para baixo.

WhatsApp Image 2019 08 28 at 09.49.34 169x300 - Delegada Amanda (DEAM) fala sobre a prisão do principal suspeito de assassinar Vitória Dágila, de 17 anos
Camiseta utilizada pelo suspeito nas imagens da câmera do terminal rodoviário

Confira a explicação da delegada.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui