Em assembleia realizada às 18 horas desta quinta (20), na sede do Sindicato dos Servidores Públicos de Paragominas – SINSEP,  os seguranças patrimoniais deliberaram ESTADO de greve por reivindicações não cumpridas .

 

No último mês, a prefeitura de Paragominas realizou diversos cortes no orçamento para cumprir uma notificação emitida pelo TCM. Dentre elas, o corte de horas extras. No entanto, segundo o senhor Gildo de Sousa Vieira, servidor eleito para liderar o movimento, o prefeito Paulo Tocantins teria garantido à categoria dos seguranças patrimoniais que pagaria 100% das horas já trabalhadas nesse mês de dezembro. No entanto, só a metade do valor teria sido paga até o presente momento.

Ainda segundo o representante da categoria, o executivo garantiu intermediar com a superintendência dos bancos onde esses servidores realizaram empréstimos, para que não fosse descontada a parcela do mês de dezembro, fato que não ocorreu. Portanto, esses teriam sido os fatores determinantes para a decisão da categoria.

A qualquer momento, mais informações sobre a greve dos seguranças patrimoniais.

Redação: Jorginho Quadros / Imagens cedidas pelo Sinpemp.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here