Prestes a completar 108 anos no próximo dia 21, o Mercado de São Brás não tem muito o que comemorar. Como está abandonado por fora e por dentro, os trabalhadores reclamam do descaso do poder público municipal e o afastamento da clientela de um dos cartões-postais da capital. A situação do espaço também preocupa o Ministério Público do Estado (MPPA), que publicou ontem (13), no Diário Oficial do Estado (DOEPA), portaria para investigar o estado precário do local.

A publicação foi feita pelo 1º promotor de Justiça de Meio Ambiente, Patrimônio Cultural, Habitação e Urbanismo de Belém, Benedito Wilson Corrêa de Sá. A Prefeitura de Belém é o alvo da investigação porque é responsável pela manutenção do espaço. O MPPA não divulgou o prazo que a apuração se dará e o que provocou tal atitude. Porém, não é difícil saber os reais motivos. Basta passar pela frente do Mercado e entrar nele para perceber.

Para começar, a Praça Floriano Peixoto – localizada logo na entrada do prédio – está imunda: poça d’água acumulada, todo tipo de lixo espalhado na calçada na esquina com a rua Farias de Brito e urubus fazendo parte do cenário, atraídos pela sujeira. A fachada do Mercado está deteriorada, com rachaduras, pichações, infiltrações e pintura defasada. Do lado de dentro, o telhado também em péssimas condições e muitas reclamações. “As pessoas que vinham antes, não vêm mais. Todos os anos as vendas caem mais e mais, tudo por causa do descaso da Prefeitura. Precisamos de melhores condições de trabalho para oferecer aos clientes”, diz a artesã Ana Alice Lima, de 55 anos, que trabalha há 30 anos no local.

fa3 14 05 2019 07 38 22 - Mercado de São Brás sofre com abandono prestes a completar 108 anos de história

(Foto: Fernando Araújo/Diário do Pará)

PROJETO

Fernando Souza, de 49 anos, é outro trabalhador antigo no espaço. Ele vende há 33 anos discos de vinil, mas também sofre com a distância dos consumidores. “Tinha freguês que vinha de toda parte do país e até do mundo. Agora, eles passam aqui na frente e acham que não funciona mais aqui. Do jeito que está, dá má impressão. Poucos ainda vêm. Um prédio tão bonito, mas abandonado”, lamenta.

A diretora da Associação de Belém, que também faz parte da Comissão de Feirantes de São Brás, Rosana Martins, afirma que os membros da comissão já conhecem um projeto de revitalização, mas a preocupação é que nada foi apresentado aos trabalhadores. Ela contabiliza 500 trabalhadores ao todo, que atuam em todo o complexo. “Isso já se arrasta há uns 2 anos. Sucatearam o máximo que puderam. Sabemos que o projeto não contempla todo mundo e o que queremos saber de fato é para onde seremos remanejados”, reclama.

fa3 14 05 2019 07 38 22 - Mercado de São Brás sofre com abandono prestes a completar 108 anos de história

(Foto: Fernando Araújo/Diário do Pará)

RESPOSTAS

A Prefeitura de Belém, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém (Codem), informa que finalizou o estudo de viabilidade econômica do projeto de concessão e reforma do Mercado de São Brás.

O edital será lançado até o final desse mês. A Prefeitura informa, ainda, que o projeto será apresentado ao Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano (CDU) nessa terça-feira (14). “A PMB reitera que mantém diálogos constantes com as lideranças dos permissionários do espaço, com quem tem trabalhado de forma integrada na elaboração do projeto”, completou.

(Michelle Daniel/Diário do Pará)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here