destaque 443200 naufragio - Ministério Público investiga naufrágio em Óbidos

(Foto: Divulgação)

O Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) estão atuando em conjunto para investigar eventuais crimes ou omissões que possam ter contribuído para um naufrágio ocorrido no último dia 2 no rio Amazonas, em área próxima ao município de Óbidos, no oeste paraense.

A ação também tem os objetivos de acompanhar a atuação dos órgãos públicos responsáveis pela segurança do transporte fluvial na região e de verificar a apresentação, pelas empresas responsáveis, do plano de salvatagem (reflutuação) do rebocador afundado.

O acidente foi entre um empurrador de balsas da empresa Transportes Bertolini e o navio Mercosul Santos. Nove tripulantes do rebocador continuam desaparecidos.

Integrantes do Ministério Público vêm participando de reuniões entre órgãos públicos, familiares dos desaparecidos e representantes das empresas proprietárias e seguradoras dos navios envolvidos no acidente.

Em reunião realizada na última quarta-feira (16) com a presença de representantes da Marinha, Corpo de Bombeiros, Bertolini, Mercosul Line e familiares dos desaparecidos em naufrágio com rebocador, foi definida a data de 5 de setembro para apresentação dos planos de salvamento da embarcação. Já a opera ção de reflutuação só deve acontecer em novembro.

Nove das 11 pessoas que estavam na embarcação no momento do acidente seguem desaparecidas. Técnicos da consultoria contratada pela Bertolini apresentaram na reunião uma proposta de plano que será repassada a empresas especializadas em salvatagem, para que as interessadas elaborem os seus planos de salvamento. “A ideia é que até o dia 11 seja feita uma avaliação e até o dia 15 seja apresentado efetivamente o plano à Marinha para aprovação. Nesse período, será realizada a mobilização dos meios que serão necessários para a reflutuação da embarcação e assim ter acesso ao interior dela”, disse o comandante da Capitania Fluvial de Santarém, capitão Ricardo Barbosa.

(Diário do Pará)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here