Neste domingo, 9, o paratleta Petrúcio Ferreira quebrou o recorde mundial dos 200m, classe T47, para amputados de braço. O paraibano de 21 anos registrou 21s10, no último dia da primeira etapa nacional do Circuito Brasil de Atletismo, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. A competição terminou com quatro recordes mundiais batidos, além de dez novas marcas das Américas e 20 recordes brasileiros.

Ao cruzar a linha de chegada, Petrúcio diminuiu em sete centésimos a melhor marca da história da prova. O tempo anterior era de 21s17 e foi registrado por ele próprio, no Grand Prix de Berlim, Alemanha, em julho do ano passado. O atleta é o atual campeão mundial da prova, que não estará no programa dos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020.

“Não há prova melhor de se correr do que os 200m. Consigo fazer uma corrida muito boa nos 100m, mas não se compara com o que sinto nos 200m. Vim para São Paulo com este objetivo, pois fazia muito tempo que não me inscrevia nesta distância. Precisava matar a ansiedade, e não há forma melhor do que fazer isso e ainda quebrar o recorde mundial da prova”, disse Petrúcio, que perdeu parte do braço esquerdo quando criança, em uma máquina de moer capim.

 

No sábado, 8, a santista Beth Gomes, no lançamento de disco e no arremesso de peso, classe F52, e o paulista André Rocha, no arremesso de peso, classe F53, também quebraram recordes mundiais em suas provas de campo. Os atletas agora voltam o foco para a disputa dos Jogos Parapan-Americanos de Lima, no Peru, de 23 de agosto a 1º de setembro, e para o Mundial da modalidade, que acontecerá de 7 a 15 de novembro em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

Portal Roma News

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here