destaque 545121 img 1226 300x169 - Trabalhador liga de orelhão e denuncia escravidão em Tailândia
(Foto: Divulgação

Seis trabalhadores foram resgatados por uma força tarefa composta pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), Exército Brasileiro (EB) e outras instituições, na madrugada desta quarta-feira (03), na cidade de Tailândia, nordeste paraense. O resgate ocorreu após um trabalhador conseguir ligar para o 191 de um telefone público e denunciar a situação

Os resgatados, todos oriundos da região Nordeste do Brasil, trabalhavam em condições análogas à escravidão, vendendo panelas pelas ruas da região sem nenhuma garantia trabalhista, sem condições adequadas de trabalho, sem banheiro ou alojamento (dormiam em redes armadas sob árvores) e com dívidas com o empregador geradas desde o início da viagem de sua origem para o estado do Pará.

De acordo com os trabalhadores, só recebia alimentação aquele que batia as metas de venda, e o transporte da fazenda para a cidade era feito no compartimento de carga de um caminhão baú.

Todos os resgatados já possuíam dívidas de até R$ 2.000 com o empregador, geradas desde o início da viagem do Nordeste para o Estado do Pará de forma a ficarem presos àquelas condições inadequadas por causa dessas dívidas e por ameaças feitas pelos empregadores..

PEDIDO DE RESGATE

O resgate só foi possível porque, no último domingo (30), um dos trabalhadores conseguiu ir a um telefone público, ligou para a PRF por meio do telefone 191 e pediu ajuda para sair do local.

A central operacional da PRF recebeu o pedido de socorro, conseguiu levantar algumas informações que possibilitaram a localização dos acontecimentos e, após isso, uma grande operação policial de resgate foi desencadeada.

O acusado responderá na justiça pelos crimes previstos no Art. 149 do Código Penal Brasileiro, e deverá pagar todos os direitos trabalhistas, bem como assinar a CTPS de todos os trabalhadores. A prisão não foi efetuada por causa da legislação eleitoral.

A equipe de resgate era composta por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), servidores do Ministério Público do trabalho (MPT) e do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), além de militares do Exército Brasileiro (EB).

As informações são da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

(DOL)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui