“Esta resolução é uma tentativa desnecessária e perigosa de enfraquecer minhas autoridades constitucionais, ameaçando a vida de cidadãos e bravos militares americanos, tanto hoje como no futuro”, afirmou Trump em comunicado nesta terça-feira, 16. Segundo ele, exceto por operações antiterrorismo contra a Al-Qaeda na Península Arábia e o Estado Islâmico, os EUA não estão envolvidos em confrontos no Iêmen.

A Câmara dos Representantes e o Senado aprovaram a resolução para questionar o governo Trump por seu apoio à Arábia Saudita. Legisladores americanos mostram-se frustrados com o apoio da Casa Branca ao reinado após a morte do jornalista Jamal Khashoggi nas mãos de agentes sauditas no ano passado.

A resolução previa que Trump tivesse 30 dias para encerrar a ajuda militar no Iêmen, num conflito de anos que já matou milhares de civis e levou milhões de pessoas à beira da fome. Alguns democratas na Câmara defendiam a introdução de medidas contra Riad, incluindo limites à venda de armas ao país, caso Trump vetasse a lei. Fonte: Dow Jones Newswires.

Com informações de Estadão.

Fonte de Pesquisa: Portal Roma News

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here